Protocolos de Intervenção do SAMU

Protocolos de Intervenção do SAMU

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) foi implantado inicialmente em 2005, no município de Campinas - SP, pelo médico coordenador José Roberto Hansen. No ano foram atendidas mais de 64.131 ocorrências, sendo 42.409 com triagem médica para o envio de transportes e 21.722 com envio de ambulâncias. Inspirado no Service d'Aide Médicale d'Urgence, idealizado na França em 1986, o serviço é considerado pelos especialistas como o melhor do mundo. 

Em 2003, o Ministério da Saúde instaurou a Política Nacional de Urgência e Emergência cujo propósito era sistematizar a rede de urgência e emergência no Brasil. Seu foco, desde a publicação da portaria, era salientar a atenção às urgências. Na atualidade, a atenção primária é de responsabilidade das unidades básicas de saúde e Equipes de Saúde da Família; o grau intermediário é encargo do SAMU 192, das Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h); e por fim os de média e alta complexidade são executados nos hospitais.

Administrado pelas prefeituras, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, o SAMU pode ser acionado pelo telefone 192 e busca contemplar três objetivos: atendimento a casos clínicos; regulação de vagas nos setores de emergência e urgência em hospitais secundários e terciários por uma central de 24 horas; e educação em urgência e emergência.

Atendimento

Em mais de uma década de atuação, o SAMU é uma potente instituição do SUS e possui como competência a possibilidade de interligar todos os pontos da Rede de Urgência. Com as centrais de regulação, dispostas em todo o território nacional, lhe é permitido acolher e responder às solicitações de atendimento de mais de 75% da população. 

Dispondo de unidades de suporte básico e de suporte avançado, motolâncias, ambulâncias, ambulanchas, além de unidades aeromédicas habilitadas e disponíveis, os profissionais da saúde executam diferentes tipos de assistência: parto, parada cardiorrespiratória, intoxicação, queimadura, dor no peito, hipoglicemia etc.

Pensando na melhora do atendimento diário do especialista e em buscas de melhores qualidades de vida para os enfermos, o Ministério de Saúde tem desenvolvido ações em busca do desenvolvimento do SUS e uma delas são os protocolos de intervenção para o SAMU.

Protocolos

A criação de protocolos clínicos é vista, em nível internacional, como uma prática efetiva em busca de melhoria nos processos assistenciais e de gestão em saúde. Por meio da atuação do SAMU em diferentes regiões, os protocolos se disseminam como ações importantes ao aperfeiçoamento da qualidade da assistência prestada e com potencial impacto sobre toda a Rede de Atenção às Urgências e seus resultados. 

Construídos a partir das experiências nacionais e internacionais de desenvolvimento de protocolos, da análise da legislação brasileira que rege o exercício profissional das diferentes categorias envolvidas no cuidado e do conhecimento científico disponível sobre os temas, estes protocolos elevam as condições pré-hospitalares.

Vem para a Enfermagem Urgência e Emergência e UTI "Dupla Certificação". 

Referência:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Protocolos de Intervenção para o SAMU 192 - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Brasília: Ministério da Saúde, 2a edição, 2016.

DATASUS. Samu. Disponível em: http://datasus.saude.gov.br/projetos/52-samu.  

ANTERIOR