Hemoterapia Urgência e Emergência

Hemoterapia Urgência e Emergência

A hemoterapia baseia-se no uso racional do sangue, constituindo-se em transplante hematopoiético de tecido líquido (sangue), e representa, apesar da rigorosa triagem médica dos doadores de sangue e da utilização de exames sorológicos de última geração, riscos de doenças emergentes, reações adversas, imunossupressão e aloimunização. 

Foram notificadas, entre 1994-1999 e 1996-2004 e 3,5 mortes relacionadas às transfusões sanguíneas alogênicas, na França e no Reino Unido, respectivamente. Toda transfusão contém risco, imediato ou tardio. 

A transfusão de urgência refere-se à necessidade urgente da administração do sangue para permitir a sobrevida do paciente. Entre os fatores críticos envolvidos, estão: a interrupção da hemorragia maciça, e reposição do volume intravascular e o restabelecimento do transporte de oxigênio. 

Recomenda-se a reposição imediata de volume intravascular com soluções coloides e cristaloides, com o cuidado de racionalizar o volume total infundido para evitar a hemorragia dilucional, ou seja, a diluição dos fatores da coagulação. 

Seja um especialista em Hematologia Clínica e Banco de Sangue. 

ANTERIOR PRÓXIMA