Protocolo de Transfusões

Protocolo de Transfusões

A hemoterapia é sustentada no uso racionalizado de hemocomponentes, sendo a transfusão empregada apenas em casos de real necessidade. Para isso, são adotados critérios clínicos, diagnóstico detalhado e examinado os resultados de exames laboratoriais recentes. "As recomendações das indicações de hemocomponentes devem ser centradas em evidências a partir de estudos clínicos bem fundamentados metodologicamente, nunca devendo ser empíricas ou baseadas somente na experiência do profissional médico envolvido" (Brasília, 2018).

A criação de um protocolo objetiva conscientizar os profissionais de saúde sobre o uso adequado do sangue, evidenciando os riscos vinculados à transfusão, como no caso de doenças infecciosas, imunossupressão, aloimunização, entre outros, sendo assim necessária apenas quando houver indicação precisa, na ausência de demais opções terapêuticas.

Tendo em vista que a transfusão de sangue e hemocomponentes é um tratamento de suporte a múltiplas patologias, não sendo apenas um curativo, segue a listagem de exemplos de patologias e seus grupamentos no código internacional de doenças, relacionados pela Fundação Hemocentro de Brasília:

Grupo C – neoplasias em geral incluindo doenças hematológicas malignas (leucemias, linfomas, doença de Hodgkin e Mieloma Múltiplo).

Grupo D – neoplasias, hemoglobinopatias, síndromes mielodisplásicas e outras doenças hematológicas.

Grupo P – afecções do feto e do recém-nascido.

Grupo S – traumatismos osteo-articulares entre outros.

Grupo T – traumatismos e queimaduras.

Grupo V – acidentes envolvendo pedestres, carros, bicicletas, trem e avião.

Grupo W – acidentes com projétil de arma de fogo, explosão, mordedura e esmagamento.

O tempo de tratamento é diversificado, se definindo conforme a patologia de base e a resposta de cada paciente. Por não se tratar de um procedimento isento de risco, o ato transfusional exige uma série de cuidados para minimizar os riscos, isso desde a seleção do hemocomponente, a realização dos testes de compatibilidade pré-transfusionais e o acompanhamento do paciente pelo profissional de saúde durante e após a transfusão. 

Olhe nossos módulos da Especialização em Hemoterapia e Terapia Celular. 

Referências:

Fundação Hemocentro de Brasília .Protocolo Transfusional – Indicação de Hemocomponentes. Disponível em: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/04/HEMATOLOGIA-3-PTransfusional_-_Indicacao_de_Hemocomponentes_Word.pdf. Acesso em: 12 set. 2019.

ANTERIOR PRÓXIMA